Ratinho confirma investimento de R$ 82 milhões para melhorar infraestrutura das escolas

Toledo, na Região Oeste, recebeu nesta quarta-feira (25) as 35.173 doses do imunizante da Pfizer para dar início à vacinação de toda a população a partir dos 12 anos contra a Covid-19. A remessa especial faz parte de um estudo de natureza observacional da farmacêtiva norte-americana, autorizado pelo Ministério da Saúde, que busca analisar o comportamento do Sars-Cov-2 em adolescentes e jovens de uma cidade de porte médio que receberam a primeira dose do medicamento. A cidade para o estudo foi definida pela Pfizer e governo federal. O Governo do Estado apoiou na logística, com o transporte das vacinas de Curitiba para Toledo.

De acordo com a prefeitura do município, a aplicação dos imunizantes da faixa etária entre 12 e 17 anos vai começar nesta sexta-feira (27). A intenção é aplicar cerca de 7 mil primeiras doses por dia, contemplando duas idades no período.

Foram organizados quatro pontos para aplicação de D1, que vão funcionar com horário ampliado das 8h às 23h. Cada ponto receberá 1.750 doses por dia. Pelo menos 50 profissionais de saúde serão mobilizados nos pontos de vacinação, além das equipes de vigilância e saúde e atenção primária da secretaria municipal.

Os contatos da farmacêutica com Toledo iniciaram na segunda quinzena de maio e se intensificaram a partir da segunda quinzena de junho. Com o Ministério da Saúde, as tratativas começaram a partir da segunda quinzena de julho, incluindo a vacinação no Plano Nacional da Imunização (PNI).

De acordo com o Vacinômetro nacional, ferramenta atualizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Paraná aplicou até o momento 10.268.975 doses, sendo 7.179.203 relativas à primeira dose (D1) e 3.089.772 entre segunda dose (D2) e Dose Única (DU).

Toledo, por sua vez, alcançou a marca de 127.535 aplicações, com 91.259 D1 e 36.276 (D2 ou DU). De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população da cidade é estimada em 142.645 pessoas.

Confira o cronograma de vacinação do lote especial de Toledo:
Sexta-feira, 27/08: 17 e 18 anos ou mais
Sábado, 28/08: 15 e 16 anos ou mais
Domingo, 29/08: 13 e 14 anos ou mais
Segunda-feira, 30/08: 12 anos ou mais
Terça-feira, 31/08: repescagem a partir dos 12 anos.

IMPORTANTE – “É a celebração de uma luta importante de quase 100 dias”. Esta afirmação foi feita pelo prefeito Beto Lunitti no início da coletiva de imprensa quando anunciou a parceria com a Pfizer para a vacinação, até o próximo dia 31, de 100% da sua população maior de 12 anos. A notícia, divulgada no início da noite da terça-feira (24), foi detalhada para toda a imprensa regional no Auditório Acary de Oliveira na quarta-feira (25).

A vacina da Pfizer recebeu o registro definitivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 23 de fevereiro, sendo a primeira a receber este registro e a única, no Brasil, licenciada no Ministério da Saúde para aplicação em crianças e jovens de 12 a 17 anos. “Portanto, é muito importante deixar claro aqui que a segurança da vacinação de 12 a 17 anos dos jovens de Toledo está completamente garantida”, disse a secretária de Saúde Gabriela Kucharski.

Gabriela destacou, ainda, que o estudo é o único nos países em desenvolvimento. “Há outros países que estão fazendo aplicação da vacina Pfizer de 12 a 17 anos, em especial na Europa, entre eles a França, Alemanha e Reino Unido, e fora deste continente europeu, como o Japão, todos reconhecidos pela qualidade do seu atendimento em saúde. E Toledo será o representante dos países em desenvolvimento para esta observação”. A secretária reafirmou que será um estudo observacional. “Não é um estudo de intervenção, não estamos fazendo testes em nossa população de adolescentes e de crianças”.

Sobre a escolha de Toledo, segundo a secretária, o município tem as características demográficas e geográficas favoráveis para este tipo de estudo, além da presença do campus da Universidade Federal do Paraná (UFPR). “Temos excelência no processo de trabalho de enfrentamento à pandemia e na vacinação. Recebemos muitos elogios, tanto local quanto regionalmente. Desde o atendimento, o diagnóstico, o cuidado com os nossos pacientes, o monitoramento e, por fim, a aplicação da vacina. É um trabalho feito com muita dedicação e excelência por todos os técnicos que trabalham na Secretaria de Saúde”, comentou.

O prefeito Beto Lunitti destacou, ainda, o empenho dos servidores municipais. “De uma forma muito intensa, valorosa e determinante, nos locais de vacinação, fizeram um trabalho brilhante que rendeu muitos pontos positivos para que hoje pudéssemos fazer esta entrevista coletiva. Tudo isso foi possível por conta da transparência de dados junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), que nos conferiu uma nota 10, a eficiência dos serviços de aplicação de vacinas, das estruturas que temos em termos de saúde pública e por conta da dedicação dos nossos servidores em atender, em dar sempre a melhor condição para as pessoas que procuraram a vacina”, frisou.

por redação Busão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MEC divulga resultado da lista de espera do Prouni 2021

O Ministério da Educação divulgou hoje (20) o resultado da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni) relativo ao segundo semestre de 2021. Os selecionados no programa podem receber bolsas de 50% ou 100% em instituições de ensino superior particular de todo o país. O resultado está no site do programa na internet.

A próxima etapa para os candidatos pré-selecionados é a comprovação das informações prestadas, por meio da apresentação de documentação exigida, o que deverá ser feito a partir da próxima segunda-feira (23). Os candidatos devem ficar atentos porque esse prazo termina na sexta-feira (27).

No segundo semestre de 2021, o programa oferece 134.329 bolsas de estudo – 69.482 integrais e 64.847 parciais – em mais de 10 mil cursos de quase mil instituições particulares de ensino superior.

Critérios

Para obter uma bolsa integral, o interessado precisa comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. No caso de bolsas parciais (50%), é preciso comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa da família, de até três salários mínimos.

Saúde edita resolução e escolas do Paraná podem receber mais alunos por sala de aula

A estiagem severa que atinge o Paraná, aliada ao clima seco característico da estação e a vegetação ressecada por causa das geadas acendem um alerta no Estado para a ocorrência de incêndios florestais, com risco muito alto em todas as regiões. Somente no último fim de semana, o Corpo de Bombeiros do Paraná registrou 268 ocorrências do tipo no Estado, inclusive com uma vítima, em Toledo, com ferimentos graves.

Os casos, que chegaram a reduzir no Paraná nos primeiros quatro meses do ano, voltaram com tudo com a chegada do inverno. Em julho, foram 1.505 focos de queimadas, 125% a mais que no mesmo mês do ano passado, quando 669 ocorrências foram confirmadas. Os focos mais do que dobraram nos primeiros dias de agosto, com 674 registros entre os dias 1º e 8 de agosto, contra 329 no mesmo período de 2020.

A estiagem severa que atinge o Paraná, aliada ao clima seco característico da estação e a vegetação ressecada por causa das geadas acendem um alerta no Estado para a ocorrência de incêndios florestais, com risco muito alto em todas as regiões.Foto:Gilson Abreu/AEN

A orientação do Corpo de Bombeiros é que o cidadão contate imediatamente a Central de Operações, via 193, caso presencie alguma situação de incêndio ambiental. Os cuidados nesta época devem ser redobrados porque o fogo descontrolado pode se alastrar rapidamente, causando danos irreversíveis à fauna e à flora.

“Não orientamos que as pessoas tentem apagar sozinha o fogo, pois é muito perigoso atuar em um incêndio sem treinamento. Quem avistar ou presenciar uma ocorrência, deve em contato com o 193”, explica a porta-voz do Corpo de Bombeiros do Paraná, tenente Ana Paula Bagge Alves Latuf. “Também é importante que as pessoas mantenham seus terrenos limpos. Como a vegetação está seca devido à estiagem, a tendência é que o fogo se alastre de forma mais fácil e rápida”.

CAUSAS 

Além das condições climáticas ou naturais, uma parcela significativa dos incêndios é causada pela ação humana, com as queimadas irregulares de vegetação e de lixo, bitucas de cigarro lançadas no mato, fogueiras e balões soltos irregularmente.

No Paraná, a infração administrativa e a multa para os responsáveis por provocar um incêndio ambiental variam de acordo com o tamanho da área atingida. O valor mínimo é de R$ 5 mil, mas pode chegar a R$ 50 milhões, dependendo de quantos hectares foram afetados pelo fogo e os danos causados na fauna e na flora da região.

A estiagem severa que atinge o Paraná, aliada ao clima seco característico da estação e a vegetação ressecada por causa das geadas acendem um alerta no Estado para a ocorrência de incêndios florestais, com risco muito alto em todas as regiões.Foto:Gilson Abreu/AEN

A soltura de balões também é proibida no Estado, já que a queda do artefato pode causar acidentes, com incêndios que podem atingir não somente a vegetação como também alguma residência.

A Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605/98) proibe, no Art. 42, “fabricação, venda, transporte ou soltura de balões que possam provocar incêndios nas florestas e demais formas de vegetação, em áreas urbanas ou qualquer tipo de assentamento humano, sob pena de detenção de um a três anos ou multa, ou ambas as penas cumulativamente”.

por redação Busão