Cidades do Norte Pioneiro e Noroeste vão receber ambulâncias e vans para saúde

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) confirmou nesta segunda-feira, 24, a liberação de mais R$ 3,6 milhões para 15 cidades do Norte Pioneiro, além de outras cinco da região Noroeste. Os recursos na área de saúde serão usados na compra de veículos utilizados para atendimento do programa Estratégia Saúde da Família. A maior parte dos 17 municípios é representada por Romanelli na Assembleia Legislativa.


“É um investimento para garantir segurança no deslocamento de pacientes entre cidades para receber os atendimentos especializados e também para urgência e emergência. O valor será repassado diretamente às prefeituras para compra de automóveis, vans e ambulâncias de dois tipos: para suporte básico e avançado”, informa o deputado.

Romanelli acrescenta ainda que o repasse aos municípios reforça a parceria entre a Assembleia Legislativa e o governo estadual. “Uma parceria importante para acelerar, ampliar e assegurar a renovação da frota do transporte sanitário”.

Segurança

A Secretaria Estadual de Saúde está investindo R$ 29,5 milhões para modernizar a frota sanitária de 168 municípios. A meta é atender com segurança os deslocamentos de pacientes, com veículos novos e modernos.

“Saúde é primordial e o compromisso é de garantir a segurança aos paranaenses que precisam de políticas públicas para receber atendimento à saúde”, reforça Romanelli.

Os dez municípios atendidos com recursos para modernização da frota sanitária, representados por Romanelli são Arapoti, Assaí, Congonhinhas, Cornélio Procópio, Guapirama, Japira, Moreira Sales, Querência do Norte, Santa Cruz do Monte Castelo e Santa Mônica.

Ambulâncias 

Moreira Sales e Santa Mônica vão receber R$ 170 mil cada um para aquisição de ambulância de suporte avançado. Outros seis municípios serão atendidos com uma ambulância de suporte básico, no valor de R$ 170 mil. São eles: Barra do Jacaré, Cornélio Procópio, Leópolis, Moreira Sales, Querência do Norte e Santa Mariana (2).

Dez municípios vão receber R$ 35 mil para aquisição de um automóvel do programa Estratégia Saúde da Família. O valor será destinado aos municípios de Congonhinhas (3), Guapirama, Jacarezinho, Japira, Jataizinho, Moreira Sales, Nova Fátima, Santa Mariana, Siqueira Campos e Tomazina.

Os municípios de Andirá, Arapoti, Assaí, Congonhinhas, Cornélio Procópio (3) e Santa Cruz do Monte Castelo vão receber cada um o valor de R$ 170 mil para a compra de uma van para transporte de pacientes. Já o município de Santo Antônio do Paraíso terá R$ 170 mil para adquirir van para transporte de pacientes ou ambulância.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Anvisa autoriza mudanças na pesquisa da ButanVac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, hoje (18), a alteração no estudo clínico da vacina ButanVac, em fase de desenvolvimento pelo Instituto Butantan.

De acordo com a agência, a mudança se refere à substituição do uso de placebo pela vacina CoronaVac na etapa A do estudo. Essa é a etapa inicial do estudo das fases 1 e 2 da ButanVac. Na prática, os voluntários dessa etapa da pesquisa receberão ou a vacina em teste, a ButanVac, ou a vacina de comparação, a CoronaVac, também do Instituto Butantan.

“A alteração foi solicitada pelo Instituto Butantan, que, em seu pedido, relatou dificuldades na mobilização de voluntários para o estudo com placebo”, informou a Anvisa.

A pesquisa clínica de fase 1 e 2 da ButanVac está dividida em três etapas (A, B e C). Neste momento, está autorizada a etapa A do estudo, que vai envolver 400 voluntários. Ao todo, as fases clínicas 1 e 2 têm previsão de 6 mil voluntários com 18 anos de idade ou mais.

A vacina será aplicada com duas doses, em um intervalo de 28 dias entre a primeira e a segunda dose. O estudo deve ser realizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

País atinge 50 milhões de pessoas com vacinação completa contra covid

O Ministério da Saúde informou, hoje (17), que mais de 50 milhões de pessoas já tomaram as duas doses ou a vacina de dose única contra a covid-19, o que representa 31,9% da população acima de 18 anos de idade com a imunização completa contra a doença.

O andamento da vacinação pode ser conferido na plataforma LocalizaSUS, atualizada diariamente.

De acordo com os dados da base nacional do Programa Nacional de Imunizações (PNI), 49.062.641 pessoas completaram o ciclo vacinal. Além delas, 2.089.449 também já tomaram as duas doses ou dose única, conforme informado pelas secretarias estaduais de Saúde, mas que ainda aguardam registro na base do PNI. O total, então, chega a 51.152.090 pessoas imunizadas.

O Ministério da Saúde reforça aos brasileiros que ainda não completaram o ciclo vacinal que procurem uma unidade de saúde para a segunda dose. Para que as vacinas atinjam a efetividade esperada, é necessário tomar as duas doses – ou a dose única, no caso da vacina da Janssen.

A orientação é que a segunda dose seja aplicada no período recomendado, de 12 semanas para as vacinas da Pfizer/BioNTech e da Astrazeneca/Fiocruz e de quatro semanas para a CoronaVac/Butantan. No entanto, mesmo para quem perdeu o prazo, a orientação é procurar um posto de vacinação para completar o ciclo vacinal.

A meta do governo é imunizar toda a população adulta com duas doses até o fim do ano. De acordo com os registro no PNI e nos painéis das secretarias estaduais, o Brasil já aplicou mais de 168 milhões de doses, no total, sendo que mais de 70% da população (117 milhões de pessoas) acima de 18 anos de idade já está com a primeira dose no braço.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, o andamento da vacinação vem refletindo na redução no número de casos, óbitos e internações pela doença. Na última semana, todos os estados e o Distrito Federal registraram taxa de ocupação de leitos covid-19 abaixo de 80%. “É a primeira vez no ano que o Brasil atinge esse índice, reforçando a importância da imunização para acabar com o caráter pandêmico no país”, disse a pasta.